Resenha: P.S: Eu te amo – Cecelia Ahern

Ps.-Eu-te-amo Todo mundo tem um certo preconceito com alguns tipos de livro. Não é segredo que eu amo um bom livro de romance de vez em quando, mas sempre fico receosa antes de começar algum. A questão é que “P.S: Eu te amo” estava classificado na minha cabeça como um livro super clichê e água com açúcar, então nunca me preocupei em sequer ler a sinopse.

Porém, maio e junho foram dois meses de desastre literário, em que eu não li NENHUM livro. Então, eu fiquei louca atrás de alguma coisa. Foi nessas que falei pra minha melhor amiga me emprestar algum livro que ela tivesse gostado. Qualquer um. Ela me apareceu com esse, e eu pensei, por que não? Depois de ler a sinopse, com o livro já em mãos, percebi o equívoco que eu devia ter cometido em relação a essa história.

“Algumas pessoas esperam a vida inteira para encontrar sua alma gêmea. Mas esse não é o caso de Holly e Gerry. Eles eram amigos de infância, portanto conseguiam saber o que o outro estava pensando e, até quando brigavam, eles se divertiam. Ninguém conseguia imagina-los separados. Até que o inesperado acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas no qual Gerry, gentilmente, escreveu uma carta para cada mês da nova vida dela sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.”

P.S: Eu te amo não é exatamente um romance para mim. Passamos por uma época, depois que A Culpa é das Estrelas estourou, em que lemos muitos e muitos livros com alguém morrendo no final. Essa história é justamente o contrário: ela mostra o período de luto, de superação. Ela mostra a mudança brusca na vida de Holly; casada, pensando em ter filhos e de repente viúva, desempregada e sem rumo.

Acredito que as melhores palavras pra descrever esse livro são humano e realista. Ele não mostra uma história maravilhosa, em que ela supera e encontra um novo príncipe, tudo se alinha novamente… Não. A Holly enfrenta altos e baixos, e as cartas deixadas pelo Gerry tornam-se a única coisa que ela tem para tentar aliviar a saudade, o que é absurdamente triste.

É uma história sobre superação, amizade, recomeços, família, amor e morte (é claro)… Eu achei maravilhosa a forma como mesmo não concordando com certas coisas que a protagonista faz, ainda assim conseguimos entender. Ele mostra as pessoas do jeito que elas são, com qualidades e defeitos. Quase sempre temos vilões e mocinhos definidos, mas nesse livro as pessoas são reais, elas cometem erros e acertos e vai do leitor pesar estes na balança e decidir o que pensam de cada um.

Virou um favorito meu, com toda certeza. Amei, amei, amei!

                                                          ★★★★★

Ela havia recebido um presente maravilhoso: a vida. Às vezes, a vida era interrompida cedo demais, mas o que contava era o que a pessoa fazia com ela, não o tempo que durava.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s